Segredos

A minha foto
aqui deixamos a nossa marca. deixem a vossa também... mail: 7pecadilhos@gmail.com

Espreitadelas no buraco da fechadura

segunda-feira, 7 de junho de 2010

SALÃO ERÓTICO 2010

 Este fim-de-semana foi mais uma visita anual ao salão erótico. Já é o terceiro ano consecutivo que lá vamos dar uma espreitadela. Infelizmente não conseguimos ver todos os conteúdos na sua íntegra mas valeu a pena aqueles que vimos; para além dos shows de strip-tease feminino e masculino que, na minha opinião, os masculinos continuam sem me surpreender e os femininos são mais técnica que sedução, aproveitámos para alargar horizontes com o expositor ÁREA SWING com a seguinte descrição de uma das senhoras promotoras do evento: "- Não é tudo à molhada como se pensa por aí!" pois não, de facto, não o foi mas pouco faltou, diga-se a verdade! Nós tinhamos uma ideia já enraizada do swing como algo do género: toma-lá-a-minha-dá-cá-a-tua, cada um no seu canto. Ali não foi o que aconteceu.
Quando entrámos havia várias cadeiras espalhadas, alguns pufs no chão e uma cama improvisada com uma decoração muito barroca. Só podiam entrar casais e, pela nova lei, entende-se casais heterossexuais, gays e lésbicos, é pelo menos, a minha interpretação da nova lei já em vigor. Porém, entraram casais heterossexuais e mulheres. Apenas homens não os vi entrar. Quando a menina entrou lançou sedução nos seus movimentos e convidou um casal a brincar com ela; confesso que deixei escapar uma ponta de inveja ao mesmo tempo que pensava que aquilo jamais seria um swing, com sorte, um ménage, mas quando ela os deixou a sós à frente de todos e foi chamar um casal bem no fundo da sala confesso que achei tudo muito brusco. O casal anda pela casa dos cinquenta e já têm muita rodagem - pela forma como ela se lançou à artista não deixou dúvidas, embora tenha sido bastante gentil com a novata do casalinho. Mas enfim nada como ver para saber do que se fala entre os lençóis da nossa cama e as quatro paredes do quarto.
De seguida fomos às compras e comparado aos outros anos estava fraquinho não sei se pela crise que não permitiu às empresas manterem-se ali os três dias se pela data que não costuma ser nesta altura mas sim pelos meses de Outubro ou Novembro, mesmo havendo empresas novas na FIL não deixou de ser um espaço amplo demais para tão pouca adesão. Por falar em adesão também foi fraco para um sábado à noite esperávamos ver montes de gente mas nem isso. Fosse como fosse lá comprámos um vibrador porque os dildos não me agradaram em termos de aparência, corri os expositores de venda mas nada; e aproveitei para pôr a minha leitura em dia com a novidade de uma jornalista brasileira, Lu Riva, que publicou o seu livro POMPOAR, PRAZER E SAÚDE em Portugal através da marca Tangerine. Demos mais uma volta ou duas pelo salão vimos mais uns quantos shows de strip, incluindo os lésbicos e chegámos a casa já eram umas três da manhã. Não, não houve brincadeiras porque tive uma congestão e estava mais para lá do que para cá mas oportunidades não hão-de faltar!

4 comentários:

Imperator disse...

nunca fomos ao salão, mas honestamente é muita parra e pouca uva.

a descoberta e aventura de facto não estão lá, ali diria eu, é mais para os profissionais.

a companhia procura-se com calma e ela chega sem pressa, sem o toma lá dá cá e no meio está tudo ao molho.

quanto a brinquedos recomendo-te a Lelo (http://pt.lelo.com/index.php) tem uns preços um pouco mais altos mas uma qualidade excelente, nós temos um dos deles (http://provocame.blogspot.com/2010/11/gigi.html)

amèlie e juan disse...

o salão é bom, na minha opinião, para quebrar tabus. :)

Imperator disse...

talvez...

mas os tabus não se quebram numa feira, quanto muito quebra-se a vergonha de olhar sexualmente para uma outra pessoa

amèlie e juan disse...

e esse é o primeiro de muitos...